Moscou Contra 007 (1963) – Rolex Submariner

Lançado em 1963, o segundo filme do agente secreto James Bond é conhecido no Brasil como “Moscou Contra 007”, ou, no título original, “From Russia With Love”.

Assim como no primeiro filme, “007 Contra o Satânico Dr. No”, Bond foi interpretado pelo ator Sean Connery e dirigido por Terence Young.

O filme, com 116 minutos de duração, conta a nova aventura do agente 007 que foi incumbido de ajudar uma agente soviética a fugir da Rússia e recuperar códigos de sua embaixada em Londres. Porém, a Spectre, organização criminosa fictícia, armou uma armadilha com intuito de matá-lo.

Em Moscou Contra 007, Daniela Bianchi interpretou Tatiana Romanova, a bond girl que é uma cabo do serviço de inteligência do Exército Soviético e é destacada para servir na embaixada soviética em Istambul, Turquia, como escrevente da seção de criptografia.

Tatiana Romanova, a bond girl de Moscou contra 007

Sua comandante oficial, Rosa Klebb, é também, secretamente, uma agente da Spectre. Rosa induz Tatiana a seduzir e matar James Bond, fazendo-a acreditar que estará prestando um grande serviço ao país. Com isso a organização terrorista pretende vingar a morte do Dr. Julius No, o grande vilão do filme anterior, 007 Contra Dr. No.

 

 

Bond, James Bond

 

James Bond, interpretado por Sean Connery, em Moscou Contra 007

No primeiro post foi feita uma pequena introdução sobre a origem do 007 na literatura e a concepção do autor, Ian Fleming, sobre seu personagem. Mas, quem realmente é James Bond ?

O personagem James Bond foi inspirado em um personagem da vida real, Dusko Popov, um iugoslavo que atuou como agente duplo durante a Segunda Guerra Mundial.

Dusko Popov, agente duplo que inspirou a criação de James Bond

Na obra literária de Fleming e nos filmes, James Bond era um filho de pai escocês, Andrew Bond de Glencoe, e mãe suíça, Monique Delacroix, que tornou-se órfão aos 12 anos, quando seus pais foram mortos.

Bond também era filho único e, após a morte dos pais, foi estudar em muitas escolas de prestígio. Posteriormente, alistou-se na Marinha Real durante a Segunda Guerra Mundial, onde chegou ao posto de comandante.

Também serviu ao Serviço Secreto de Inteligência Britânico, o MI6 (abreviação de Sexta Divisão do Diretório da Inteligência Militar).

Inteligente e bonito é apreciador de vodka-martini – batido, não mexido – e é um agente a serviço de Sua Majestade, combatente feroz do mal (muitas vezes representado pela URSS no período da Guerra Fria, como pode ser notado pelo nome do filme em questão).

Além de ser apaixonado por mulheres, Bond possui estilo refinado, carros de luxo, roupas elegantes e, uma de suas maiores paixões, relógios de luxo.

James Bond e seu Rolex Submariner

Assim como no primeiro filme Bond novamente utiliza um Rolex Submariner. O relógio também é usado por Bond nos livros de Fleming, o que demonstra a forte ligação entre o personagem e o Rolex.

Não se sabe porque exatamente Fleming escolheu o modelo Rolex Submariner como relógio oficial de Bond. Especula-se que o autor tenha ficado impressionado com o fato de, durante a Segunda Guerra Mundial, prisioneiros de guerra britânicos que  escrevessem Rolex, recebiam um relógio gratuitamente dentro de seu campo de prisioneiros.

Talvez, tenha sido pela resistência e confiabilidade da Rolex, ou porque o próprio Fleming utilizava um.

Seja qual for a razão, o Rolex Submariner acompanhou James Bond por nove filmes e nós teremos tempo para desvendar o motivo.

E você, tem algum palpite ? Por que Fleming escolheu o Rolex Submariner para acompanhar James Bond ?

Fontes:

Adoro Cinema

Sala Zero

Leave a reply:

Your email address will not be published.

*


*

Site Footer